Início > Notícias da Embaixada
12 rumores infundados sobre a China durante a epidemia de Covid-19(I)
2020/04/29

Atualmente, a epidemia de COVID-19 está se espalhando globalmente. Relatórios e debates sobre a origem e disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) são frequentemente misturados com alegações falsas. Nas redes sociais e em algumas mídias tradicionais, mentiras, rumores e teorias da conspiração são muito populares. Seus veiculadores têm motivos próprios, alguns pretendem difamar oponentes políticos e institucionais e outros até acusam países, nações e religiões específicas. A China foi particularmente afetada por essa "epidemia da má informação". Este artigo classifica os 12 rumores mais comuns sobre a China durante a epidemia de Covid-19 e os refuta um a um com base no conhecimento científico e em argumentos factuais, na esperança de injetar um espírito mais prático e honesto nas discussões relevantes.

Rumor 1: o novo coronavírus foi criado em um laboratório chinês.

Realidade: todas as evidências indicam que o novo coronavírus se origina da natureza.

O SARS-CoV-2 é um novo tipo de coronavírus, conhecidos nas últimas décadas. A OMS observa que todas as evidências disponíveis indicam que o novo coronavírus se originou na natureza, não artificialmente. Atualmente, a comunidade científica não esclareceu a fonte natural específica deste patôgeno e especula apenas que possa estar associado a morcegos e pangolins.

Rumor 2: a Covid-19 originou de um acidente de laboratório no instituto de investigação de virologia de Wuhan.

Realidade: o instituto de investigação de virologia de Wuhan não tem nada a ver com a origem da Covid-19.

O Laboratório Nacional de Biossegurança do Instituto Wuhan de Virologia, subordinado à Academia Chinesa de Ciências, possui um nível certificado de proteção P4 e pode lidar com os patógenos mais mortais do mundo. O laboratório fica a cerca de 30 quilômetros do centro de Wuhan e é impossível para o vírus deixar um laboratório de tão alta segurança.

A EcoHealth Alliance é uma organização sem fins lucrativos com sede em Nova York, EUA. O presidente da aliança, Dr. Peter Daszak, é responsável pelo estudo de doenças infeciosas emergentes em todo o mundo e colabora com o Instituto de Pesquisa em Virologia de Wuhan há 15 anos. Em uma entrevista ao site de notícias dos EUA "DemocracyNow" em 16 de abril de 2020, Daszak disse que a alegação de que a Covid-19 escapou do laboratório era pura tolice.

Rumor 3: o novo coronavírus é chinês porque se originou em Wuhan.

Realidade: O nome oficial do novo coronavírus é SARS-CoV-2. Wuhan foi o primeiro lugar onde foram registrados casos desse vírus, mas não é necessariamente a sua origem.

Em dezembro de 2019, Wuhan informou pela primeira vez sobre a descoberta de uma nova infeção por coronavírus, que era então conhecida como pneumonia atípica. Mas a fonte exata do vírus não tem conclusões científicas claras. Historicamente, o local onde um vírus é descoberto pela primeira vez, geralmente não é a fonte. Os Estados Unidos relataram inicialmente casos de infecção por HIV, mas sua origem mais provável é a África Ocidental; Vírus Marburg, descoberta pela primeira vez em Marburg, Hesse, Alemanha. Este vírus provavelmente se originou em Uganda.

Para evitar a estigmatização, a OMS emitiu recomendações sobre a nomenclatura de doenças infeciosas e patôgenos que afetaram seres humanos em 2015, pedindo para evitar o uso de nomes de lugares, países, pessoas, animais e conceitos que possam causar pânico.

O novo coronavírus foi oficialmente nomeado SARS-CoV-2, em 11 de fevereiro de 2020.

Rumor 4: em meados de novembro de 2019, a China foi informada do início do surto e ocultou informações relevantes durante 45 dias.

Realidade: as instituições oficiais da China receberam pela primeira vez informações sobre um caso de pneumonia atípica em 27 de dezembro de 2019 e publicaram seu primeiro aviso de epidemia em 31 de dezembro de 2019.

Em 27 de dezembro de 2019, Zhang Jixian, diretora do Departamento de Medicina Respiratória do Hospital Provincial de Medicina Chinesa e Ocidental de Hubei, relatou três casos de pneumonia atípica ao CDC do distrito de Jianghan. Foi a primeira vez que instituições oficiais chinesas obtiveram informações sobre a epidemia de Covid-19. Em uma entrevista recente, o Dr. Zhang descreveu o processo de apresentação de relatórios e informações médicas.

Rumor 5: a China ocultou a verdade sobre a epidemia de Covid-19 durante muito tempo antes de se tornar uma pandemia global

Realidade: a China notificou tão cedo quanto possível o público nacional e global sobre a epidemia e tomou as mais rigorosas medidas de prevenção e controle, dando ao resto do mundo pelo menos seis semanas de avanço para se preparar.

A OMS confirmou o cronograma anterior no seu portal oficial da web a 8 de abril.

O SARS-CoV-2 é um vírus descoberto recentemente. Na fase inicial do surto, quase não havia base de referência científica capaz de demonstrar que este novo vírus poderia causar uma pandemia. Depois de finalmente se confirmar que o vírus pode ser transmitido de pessoa para pessoa e que, provavelmente, causa uma taxa de mortalidade mais alta que a gripe, o governo chinês imediatamente emitiu um aviso ao público e adotou as medidas mais rigorosas, abrangentes e preventivas de controle exaustivo. Em 23 de janeiro, a cidade de Wuhan foi colocada em quarentena. Em 25 de janeiro, a província de Hubei, com uma população de 60 milhões, também foi isolada.

Um mês após o isolamento de Wuhan, em 23 de fevereiro, 78.811 casos foram diagnosticados em todo o mundo, dos quais apenas 2,2% estavam fora da China. Até então, exceto no leste da Ásia, o resto do mundo mal havia tomado medidas preventivas eficazes.

Suggest to a friend   
Print