Início > Notícias de Atualidade
Premiê chinês pede que EUA aprovem reforma de cotas do FMI
2015/03/31

Beijing, 31 mar (Xinhua) -- O primeiro-ministro chinês Li Keqiang reuniu-se na segunda-feira com o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jacob Lew, e expressou o desejo de que os EUA aprovem a reforma do Fundo Monetário Internacional (FMI) que dará à China uma maior influência na organização.

Li disse que a China espera que a parte norte-americana apoie a adoção do RMB na cesta de Direitos Especiais de Saque, um sistema de câmbio regido pelo FMI.

Os EUA são o principal acionista do FMI e têm o único poder de veto sobre a reforma da organização financeira internacional liderada pelo Ocidente.

Em uma reunião que abordou muitos outros aspectos dos assuntos econômicos mundiais, Li sublinhou que a China e os EUA devem avançar em conjunto para a liberalização e facilitação do comércio e investimento mundiais. Além disso, disse a Lew que os EUA devem relaxar os limites às exportações de alta tecnologia para a China.

O primeiro-ministro disse que as negociações que estão a ponto de começar sobre o estabelecimento de uma lista de práticas proibidas sob o tratado de investimento bilateral (TIB) dos dois países serão um ponto central nos próximos meses. O governo chinês abrirá ainda mais as indústrias de serviços e manufatura através da redução pela metade dos limites ao investimento estrangeiro.

"A China abrirá sua porta ainda mais amplamente ao mundo", afirmou Li.

"O mercado da China será ainda mais aberto, transparente e previsível", prometeu.

Lew expressou a expectativa de que a negociação do BIT obtenha progresso. Além disso, manifestou a esperança de que a China desempenhe um papel maior no desenvolvimento de infraestrutura na Ásia e disse que os EUA estão dispostos a cooperar com a China em nível bilateral e multilateral.

A próxima visita do presidente chinês, Xi Jinping, aos EUA impulsionará fortemente o desenvolvimento das relações sino-norte-americanas, afirmou Lew.

A parte norte-americana espera com ânsia a visita de Xi neste ano, disse.

Li e Lew concordaram que na próxima etapa, as duas partes devem realizar a 9ª rodada de seu Diálogo Estratégico e Econômico (DEE) e consultas de alto nível sobre os intercâmbios entre pessoas para elevar a confiança mútua, aprofundar a cooperação e realizar uma comunicação e coordenação mais estreitas sobre importantes assuntos regionais e internacionais.

Li disse que uma relação saudável entre a China e os EUA é benéfica para as duas partes e favorável para a paz, a estabilidade e a prosperidade da região Ásia-Pacífico e do mundo inteiro. A China e os EUA, como o maior país em desenvolvimento e o maior desenvolvido, respectivamente, são altamente complementares em economia e compartilham uma ampla perspectiva de colaboração, acrescentou.

Lew declarou que o crescimento e a prosperidade da China, assim como sua profunda participação no sistema internacional, correspondem aos interesses dos EUA.

Li e Lew também trocaram opiniões sobre assuntos regionais e internacionais de interesse comum. Fim

Suggest to a friend   
Print