Início > Notícias de Atualidade
Intimidação comercial dos EUA prejudica o mundo, diz livro branco
2019/06/02

A globalização econômica é uma tendência firmemente estabelecida dos tempos, e são impopulares o unilateralismo e o protecionismo de buscar os interesse próprios à custa dos vizinhos, de acordo com um livro branco intitulado Posição da China sobre as Consultas Econômicas e Comerciais China-EUA, divulgado neste domingo pelo Departamento de Comunicação do Conselho de Estado.

As medidas protecionistas comerciais tomadas pelos Estados Unidos contrariam as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC), danificam o sistema de comércio multilateral, seriamente interrompem as cadeias industriais e de fornecimento globais, prejudicam a confiança do mercado e constituem um desafio sério à recuperação econômica global e uma grande ameaça para a tendência de globalização econômica, disse o livro branco.

As medidas norte-americanas estão prejudicando a autoridade do sistema de comércio multilateral. Os EUA lançaram uma série de investigações unilaterais, incluindo as sob as Seções 201, 232 e 301, e impuseram medidas tarifárias. Essas são uma violação grave às mais fundamentais e centrais regras da OMC, incluindo o tratamento de nação mais favorecida e obrigações tarifárias. Tais ações unilateralistas e protecionistas danificaram os interesses da China e de outros membros da OMC. Mais importante, elas minaram a autoridade da OMC e seu sistema de resolução de disputas e expuseram o sistema de comércio multilateral e a ordem de comércio internacional a perigo, disse o livro branco.

As medidas dos EUA ameaçam o crescimento econômico global. Com a sombra de crise financeira internacional ainda persistindo sobre a economia global, o governo norte-americano agravou a fricção econômica e comercial e aumentou as tarifas adicionais, provocando medidas correspondentes pelos países envolvidos. Isso rompe a ordem econômica e comercial global, reduz a recuperação econômica mundial e prejudica o desenvolvimento das empresas e o bem-estar das pessoas em todos os países, colocando a economia mundial na "armadilha de recessão", de acordo com o livro branco.

As Perspectivas Econômicas Globais emitidas pelo Banco Mundial em janeiro de 2019 reduziram para 2,9% a previsão de crescimento econômico global, citando fricção comercial contínua como importante risco de queda. O Fundo Monetário Internacional, nas Perspectivas da Economia Mundial publicadas em abril de 2019, baixou dos 3,6% previstos em 2018 para 3,3% sua projeção de crescimento econômico mundial neste ano, sugerindo que a fricção econômica e comercial pode deprimir ainda mais o crescimento econômico global e enfraquecer e investimento já anêmico.

Os movimentos norte-americanos interrompem as cadeias industriais e de suprimento globais. A China e os Estados Unidos são elos essenciais em tais cadeias. Dado o grande volume de bens intermediários e componentes de outros países nos produtos finais chineses exportados para os EUA, os aumentos tarifários dos EUA prejudicarão todas as multinacionais -- especialmente as norte-americanas -- que trabalham com as empresas chinesas. As medidas tarifárias elevam artificialmente os custos das cadeias de fornecimento e prejudicam sua estabilidade e segurança. Como resultado, algumas empresas são forçadas a reajustar suas cadeias de fornecimento mundiais à custa de alocação de recursos ótima, observou o livro branco.

É previsível que os mais recentes aumentos tarifários dos EUA sobre a China, longe de resolver questões, somente deixem as coisas piores para todos os lados. A China permanece firme na oposição. Recentemente, a administração norte-americana impôs "jurisdição de braço longo" e sanções contra a Huawei e outras empresas chinesas na base fabricada da segurança nacional, à qual a China também se opõe firmemente, segundo o livro branco.

Suggest to a friend   
Print